SELECIONE O SEU IDIOMA: PT | EN 

Manual de procedimentos para uma gestora de aeroportos africana

ENANA: Milhões aterram em nós

A Empresa Nacional de Exploração de Aeroportos e Navegação Aérea de Angola (ENANA) quis otimizar a sua eficiência, melhorando em simultâneo o serviço aos clientes. Neste sentido, selecionou a LBC para elaborar o manual de procedimentos das áreas administrativas e de suporte ao negócio da entidade, numa ótica de melhoria da gestão e acréscimo de eficiência, bem como do aumento da eficácia e da satisfação dos clientes.

Avaliação

O processo incluiu uma fase de transferência de conhecimento, através da implementação de um manual interativo de processos, instalado num portal para fácil acesso aos colaboradores da ENANA. A LBC apoiou a entidade na revisão da avaliação de performance, com a definição e implementação do sistema de avaliação de desempenho (num processo que abrangeu 30 áreas orgânicas e 498 trabalhadores).

Implementação

A LBC também procedeu à identificação e quantificação de iniciativas de criação de valor para a da ENANA em Angola, processo que incluiu as seguintes áreas de intervenção: aumento de receitas, com quatro áreas de atuação (aumento das tarifas de aviação; expansão das receitas de publicidade; aluguer de espaços e estacionamento automóvel; revisão dos contratos de handling e das antenas de telecomunicações); redução de custos, com mais de dez áreas de atuação, entre as quais a adaptação dos horários de funcionamento dos aeroportos, a racionalização do quadro de pessoal, o eliminar do duplo rendimento de aposentados, a otimização da limpeza e segurança, terceirização do posto médico, encerramento de serviços, avaliação do plano de remunerações, ou ainda a otimização das compras; aumento do cash flow, com quatro áreas de atuação: contratualização das atividades de serviço público; revisão dos processos de faturação e cobrança; reformulação do negócio do TECA (terminal de carga aérea); negociação de um plano de liquidação de dívida, sobretudo com os grandes clientes.

Artigos relacionados

 

E = mc2 (ou como a nossa energia afeta o desempenho)

A energia (E) que empregamos nas nossas funções varia com dois fatores: a motivação (M) e o carácter (C). Assim, perceber como está a nossa energia e a de cada membro da nossa equipa é fundamental para entender até onde cada elemento pode ir e que valor pode aportar ao grupo.

 

Três lições de liderança que não aprende numa business school

Há competências de liderança que não se ensinam na faculdade. Com a exceção dos líderes natos, a maioria vai apreendendo metodologias ao longo do caminho percorrido. Mas há aspetos que todos deviam saber de antemão – e cedo – na carreira.

 

8 sinais de que um funcionário deve ser dispensado (e que não surgem nas avaliações de desempenho)

Muitos colaboradores são medíocres. Alguns são péssimos. E depois há aqueles que são completamente tóxicos mas que vão passando despercebidos no radar. No entanto há forma de os detetar.
Email

Lorem ipsum dolor sit amet, consect adipisicing elit, sed do eiusmod tempor.