SELECIONE O SEU IDIOMA: pt pt en

Relançar a TDT enquanto negócio

A Autoridade Nacional para as Comunicações (ANACOM) de Portugal decidiu avançar com um estudo sobre a televisão digital terrestre (TDT) com o intuito de aferir em que moldes a TDT prossegue no país depois de 2023 – ano em que acaba a concessão do DUF (direito de utilização das frequências) à operadora de telecomunicações MEO. A Leadership Business Consulting (LBC) foi a empresa selecionada para o projeto, tendo o resultado final sido publicado em janeiro de 2018.

Parceria com peritos em TDT

O “Estudo sobre alargamento adicional da oferta de serviços de programas na televisão digital terrestre” levado a cabo pela LBC contempla uma análise global da TDT em Portugal, na sua vertente social, de potencial de negócio, regulamentar e componente tecnológica. Devido à abrangência do projeto, a LBC reuniu uma equipa para a qual convidou parceiros peritos neste domínio, como a alemã LS Telcom (empresa especialista na área de gestão do espectro), a portuguesa IR Telecom, ou o escritório de advogados anglo-americano DLA Piper (com experiência em telecomunicações).

Análise exaustiva do setor

O projeto concretizado pela Leadership Business Consulting teve como principais objetivos a caracterização do momento atravessado por esta plataforma, a análise do valor da TDT para a sociedade portuguesa e a identificação do potencial da TDT/de novos modelos de negócio. Para tal, a LBC procedeu a um exaustivo benchmarking internacional e à consequente comparação com boas práticas na Europa. De referir que Portugal apresenta um desafio particular por comparação com os restantes mercados, relacionado com a forte penetração de soluções de fibra ótica e a venda integrada de soluções de comunicação (televisão, internet e voz). Em território português foram realizadas reuniões com os stakeholders relevantes, desde operadores e produtores de televisão a agentes do mercado publicitário, passando por empresas de telecomunicações, associações do consumidor, retalhistas, entidades públicas, etc. Adicionalmente, de forma a conhecer a realidade dos utilizadores de TDT e dos seus hábitos, foi conduzido um questionário junto dos mesmos, bem como três sessões de focus group (em Almeida, em Braga e em Lisboa). 

Capacitação com ferramentas para a decisão

No final do projeto, a Leadership Business Consulting equacionou vários modelos de negócio, desenvolvendo-os em termos da solução tecnológica a adotar e do investimento a realizar. Com esta análise, a LBC forneceu à ANACOM – tendo por base o conhecimento adquirido do contexto português, mas também através da identificação das lições aprendidas e das melhores práticas detetadas noutros países europeus – a projeção de um conjunto de modelos futuros para o desenvolvimento da TDT em Portugal. Este projeto conferiu à ANACOM um documento com uma visão aprofundada e abrangente que serve de suporte à decisão nas vertentes de tecnologia, de investimento e de negócio/prestação de um serviço de qualidade, entregando em simultâneo uma ferramenta prática e objetiva para que a entidade possa atuar de imediato.
A Leadership Business Consulting “forneceu a informação e as ferramentas no sentido de os decisores públicos tomarem a melhor opção para a TDT em Portugal, tendo em mente que as resoluções que daí emergirem terão um impacto capital nesta plataforma e no meio audiovisual do país, tanto no curto como no longo prazo”, conclui José Pedro Melo, partner na LBC.

 

Artigos relacionados

 

Irá a inteligência artificial “roubar” emprego?

Depois do computador, do smartphone e da internet, a IA é a grande revolução tecnológica. Estamos apenas no início mas alguns setores assumem-se já como líderes na adoção de tecnologias baseadas em IA. 

 

A sua organização está preparada para a Indústria 4.0?

Empresas de todos os setores no globo estão a adotar a Indústria 4.0. Já não se trata de “temos tempo, é uma tendência de futuro” – a também denominada Quarta Revolução Industrial está aí. É uma realidade. A sua organização está preparada?

 

Gestão da mudança: 3 regras para líderes

A maior parte dos insucessos nos processos de mudança acontece porque não existe um foco partilhado definido logo no início.