SELECIONE O SEU IDIOMA: PT | EN 

África do Sul “acelera” em Silicon Valley com o apoio da consultora LBC

A empresa portuguesa LBC ganhou a adjudicação do projeto lançado pelo TIA – Technology Innovation Agency da África do Sul para o desenho e implementação de um acelerador de start-ups deste país em Silicon Valley.

Com 11 anos de existência completados no passado mês de Novembro, Technology Innovation Agency (TIA) tem um propósito muito claro: ser a agência líder em inovação tecnológica que estimule e apoie a inovação tecnológica para melhorar a qualidade de vida de todos os sul-africanos, a fim de obter benefícios sócio-económicos para Africa do Sul e aumentando, deste modo, a sua competitividade global e oportunidades.

Silicon Valley, o mundo do empreendedorismo

Com mais de 50 anos de história, Silicon Valley é o ecossistema económico mais eficiente do mundo, sendo uma referência a nível mundial no que toca a inovação e empreendedorismo. É o local onde existe capital de risco disponível em maior quantidade e qualidade, em conjunto com uma enorme concentração de ideias e talentos. Neste sentido, segundo TIA, é crucial introduzir África do Sul neste circuito, fortalecendo o seu ecossistema empreenddor e acelerando, assim, a introdução de inovações tecnológicas na África.

O papel estratégico e a motivação

Uma incubadora sul-africana em Silicon Valley pode tornar-se um projecto-chave para TIA, uma vez que aborda todos os seus papéis estratégicos presentes no núcleo do que estabeleceram como a sua missão.

E, se por um lado, este projecto conecta TIA ao principal centro tecnológico do mundo, por outro, promove as ligações entre África do Sul e os países com os ecossistemas inovadores mais avançados, aos avanços e desenvolvimentos tecnológicos mais recentes, melhorando assim a competitividade económica, aumentando a capacidade de exportação e promovendo criação de emprego.

Em suma, podemos considerar seis pontos como foco desta decisão:

  1. Abrir novas oportunidades para empreendedores e inovadores sul-africanos, criando acesso ao mais inovador e empreendedor ecossistema do mundo;
  2. Ajudar as start-ups seleccionadas e promissoras a desenvovler ainda mais os seus negócios, ideias e modelos, facultando acesso a novos conhecimentos e novas fontes de financiamento, assim como de novos parceiros;
  3. Promover a incorporação da inovação na economia sul-africana, aumentando a sua competitividade e potencial de exportação;
  4. Alavancar o papel da TIA em relação à inovação tecnológica e start-ups em África do Sul, reforçando os papéis estratégicos;
  5. Reforçar a marca da TIA, associando-a a uma marca de topo;
  6. Trazer de volta novas ideias e métodos, para a promoção da inovação e empreendedorismo – partilha e prática de conhecimentos.

O presente projeto, envolve o desenho do programa de aceleração, a sua montagem e gestão durante um ano. Uma visita de trabalho a Silicon Valley por parte dos representantes do TIA e do Ministério das Finanças sul-africano teve já lugar de 4 a 8 de Fevereiro.

O conceito desenhado pela LBC deve ser submetido à gestão do TIA até ao final de Fevereiro e o arranque do programa de aceleração deve ocorrer antes do verão.

Para Senisha Moonsamy, Diretora do TIA encarregue deste projeto, a LBC oferece garantias dada a qualidade do trabalho que tem desenvolvido em projetos na África do Sul, a sua experiência de 10 anos de apoio a start-ups e programas de imersão em Silicon Valley, bem como a vasta rede de parceiros, entidades e peritos com quem a empresa tem trabalhado em Silicon Valley.

A LBC tem experiência de 950 projetos em 12 países, na área da consultoria de gestão e transformação digital, estando presente em San Francisco desde 2008, dedicada ao apoio de start-ups, inovação empresarial e programas de imersão em Silicon Valley.

Email

Lorem ipsum dolor sit amet, consect adipisicing elit, sed do eiusmod tempor.